Desenvolver Competências para a Quarentena / Vida.

Se houve alguma coisa que esta pandemia nos trouxe foi a certeza de que temos de ser flexíveis, já muito se sabia que essa era uma habilidade fundamental, nas empresas, nos líderes e gestores de equipas. Mas agora ela teve de ser rapidamente incorporada nas famílias, e é fundamental desenvolver essa competência a nível pessoal e quanto mais cedo a ensinarmos, mais fácil se torna de a colocar em prática.

Muitas das vezes flexibilidade é confundida com falta de assertividade, ou até pensamos que são pessoas que não sabem o que querem, que não defendem o que acreditam, pessoas que andam ao sabor do vento.

Mas tão importante como defender o que acreditamos é saber quando temos de nos adaptar às mudanças que acontecem à nossa volta, se o contexto se altera, se as premissas mudam então porquê manter o mesmo pensamento a mesma posição, a isto chamamos a diferença entre Fixed Mindset x Growth Mindset, se quisermos traduzir à letra temos: mente rígida x mente de crescimento, por qual vocês querem optar?

O que ganhamos então em desenvolver uma Growth Mindset? Em desenvolvermos a nossa flexibilidade? Acima de tudo capacidade de adaptação, capacidade de dar a melhor resposta às mudanças, e que essa resposta seja rápida, ou seja torna as mudanças prazerosas e vistas como um desafio em vez de dolorosas e limitantes.

Este tempo de quarentena, obrigou-nos, como famílias a reinventar o nosso dia-a-dia e o mais desafiante, é que não foi só no início, mas tem sido uma constante, exatamente porque as nossas necessidades também vão alterando e com um nível acrescido de dificuldade que é o de não haver qualquer previsibilidade no que vai acontecer!

Ora se no início os pais me perguntavam pelo que fazer com os filhos em casa, precisavam de atividades que entretecem as suas crianças (entenda-se filhos e pais), pois nenhum deles sabia o que fazer com todo aquele tempo.

Seguiu-se o caos em conciliar o teletrabalho estando todos em casa 24h sobre 24h e ainda somar todas as tarefas de casa e refeições. E a catástrofe foi quando começaram as aulas, em que os pais agora tinham de trabalhar em casa, cuidar de todas as tarefas, ser informáticos, conseguirem em tempo útil aceder às várias plataformas e metodologias com que cada escola e professor se organizam e como muitos me dizem, ainda serem professores!!

É com todos estes ingredientes que vejo famílias em stress, desesperadas e sem saberem como lidar.

O primeiro ponto fundamental a ter em conta é: se tudo mudou então porque é que continuamos a fazer da mesma forma? Ou porque é que queremos fazer tudo e cumprir todas as tarefas e papeis? Esta pressão é colocada por quem?

É importante parar para refletir, qual o nosso papel enquanto Pais, o que queremos transmitir e ensinar aos nossos filhos?

E cada família irá encontrar o que lhe faz sentido, não há fórmulas exatas nem soluções fechadas, não há certo nem errado, mas sim o que é verdadeiro dentro de cada casa. Antes de entrarem no automático pensem que quero eu adquirir com tudo isto que está a acontecer, e o que quero eu que os meus filhos adquiram e desenvolvam?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *